93

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Pra começar, eu odeio calor. ODEIO.CALOR.

Mesmo se estiver numa praia paradisíaca. Odeio transpirar, sim mesmo durante o sexo. Mesmo se for sexo enlouquecedoramente delicioso, pra mim seria infinitamente mais delicioso se não tivesse suor. Transpirar é indigno. E sabe, eu passei dos 30, eu preciso de cremes e maquiagens pra ficar com carinha de 24. Camadas e mais camadas. Calor derrete toda a minha jovialidade. Calor é tão filho da puta que chega ao ponto de humilhação de te fazer ficar com bigodinho de suor na boate.

21 de Dezembro, começa oficialmente o calor.

Ok, temos que lidar, faz parte da vida e de viver neste enorme parque temático chamado Brasil. Calor liga as turbinas e chega-chegando, deixando o pessoal das firmas que trabalham montados de mini executivos e excutivas, nivel gerência pra baixo, desfilando por aí no máximo possível da elegância fibra-poliesteriana. Tenho 2 exemplos pra vocês:

1. Terninho rosa bebê de tergal;
2. Terno, gravata, camisa de manga curta amarelo-bebê.

Aí acontece outra coisa que me irrita profundamente em Dezembro: a árvore de Natal do Parque do Ibirapuera. Certo que na sua cidade também tem uma, mas aqui a fauna local acha que é programa parar o carro pra tirar foto em frente da porra da puta da árvore. E o trânsito, que já não é dos melhores, fica um caos. Tenho inclusive uma tese  de que se quiserem mesmo povoar o Acre é só montar a árvore de Natal do Ibirapuera por lá que o povo vai atrás.

“Ah, mas essas tradições são bacanas”. Naonde? Explica?

Noventa por cento das pessoas, arredondando pra baixo, passam o ano sendo puramente egoístas e escrotos  e agora vem com espírito cristão e flores pra Iemanjá. Pegar na enxada o resto do ano pra fazer a vida dar certo, e ser menos egoísta ninguém quer. Mas comprar vestido vermelho de alcinha, e jogar lixo no mar de calcinha vermelha todo mundo quer.

Entendo. E nem cheguei na parte dos comes e bebes. Mas vou chegar. Cheguei.

Fato 1: eu bebo. Sempre que posso, sempre que tenho dinheiro, sempre que tenho com quem. Eu saio pra beber. E saio pra jantar, e pra ir na Livraria Cultura e ao cinema. Esse é meu clube, essa é minha vida. Com algum método e planejamento, consigo evitar aglomerações e desconforto. Só descobrir os hábitos da manada e aproveitar as lacunas. Vida ermitã segue feliz e prazerosa.

Mas não no mês de dezembro. Porque? Festas de firma. Amigos secretos. Encerramentos de ano. Confraternização do pessoal do trabalho. Despedidas.

Meu cu. Essa gente que entope os lugares não sabe nem se portar num ambiente que vende bebida alcoólica. Eu vejo vocês, funcionários de cartórios, contabilidades, bancos, seguradoras, etc. Eu vejo vocês dançando com a gravata na testa, e os seios pulando pra fora da camisa social com elastano que é pelo menos 1 tamanho menor que o seu. Aquele botão da dignidade que evita que o seios pulem se segurando como pode. E vejo vocês pedindo pro DJ tocar Papanamericano.

E dou risada. Me irrito mas dou risada. Mas e vocês? Que vão continuar trabalhando juntos, diariamente. Então pensem na possibilidade de sair e perder o melhor da festa, antes que o melhor da festa seja o seu pior.

Dezembro é como se fosse uma micareta, uma histeria, um amor se espalhando mais rápido que DST. Um sentimentalismo que invariavelmente vai fazer o telefone tocar. E vai ser algum parente, confirmando que o Natal vai ser naquele núcleo familiar. Já não se sabe se por prazer, por tradição ou porque ninguém mais se ofereceu pra fazer a função.

(Menos vocês, meus parentes, amo todo mundo.)

E a partir deste dia tudo vira uma corrida contra o tempo: listar e tirar da lista quem vai ser agraciado com presente. Listar e riscar da lista os assuntos que devem ser evitados. Pensar no que vestir, pensar no que dizer, pensar nos assuntos que você ainda tem em comum com aquela gente. Um exercício cansativo e que no fim das contas você só faz por obrigação, ou pra saber como anda aquele núcleo da família que você não suporta.

Tudo isso talvez valesse a pena, se a comida fosse um manjar dos Deuses, mas não é. As pessoas não sabem mais nem fazer arroz branco soltinho e bem temperado, vão saber assar peru sem ficar seco? E aí acrescentam o que como acompanhamento? Farofa. Minha tese é que na verdade isso foi pensado pra formar um massa de concreto dentro da boca e ninguém conseguir falar muita coisa.

Aí têm as famílias que te fazem comer antes da meia- noite, e aí as crianças fica histéricas de tanto panetone e pavê que comeram, correm pela sala informando quanto tempo falta pra meia noite, de cinco em cinco minutos. Têm as famílias que te fazem morrer de fome até a meia noite, e aí você come depois da distribuição dos presentes, tropeçando em papel amassado pra ir se servir entre bazucas de plástico e bonecas que falam.

“Pelo menos dá pra encher a cara de champanhe”. Defina “champanhe”.

Enche, enche a cara do espumante, mas enche até ter vontade de colocar a a Simone no YouTube cantando “Então é Natal”. E no dia seguinte me conta de não ‘algo próximo da morte ter que acordar com despertador e ressaca, pra começar tudo de novo, agora versão diurna.

Aí tem o reveillon, que se você for esperto e tiver dinheiro pega um avião e vai pra longe, bem longe. Ou vai pro interior encontrar família e fazer cosplay do Natal, ou vai pra praia pegar trânsito e ter que conviver com a humanidade no seu pior.

Ou fica em casa, bem quietinho, numa dessas metrópoles que ficam vazias e deliciosas.

Rancorosa, anti social, recalcada?

Experimenta ser honesto com a parentada durante toda a noite de Natal e toda a noite de Reveillon. Essa coisa de espírito de final de ano foi inventada pras pessoas entrarem num transe coletivo, e se esquecerem o que realmente pensam sobre os outros. Experimenta no abraço de Reveillon dizer: “espero que seu marido pare de botar chifres em você”, “espero que seu pau volte a funcionar, espero que você crie vergonha na cara e arrume um emprego, espero que você finalmente emagreça”, “espero que seu filho apareça mais bem educado”, “tomara que sua filha adolescente pirigueti não engravide”, “espero que você pare de fumar tanta maconha”, “que neste ano que vem você me chupe mais e me aborreça menos”, “que você entre numa academia e dê jeito nessa bunda caída”, “que sua barriga de chope não aumente mais”.

Experimentem honestidade, e depois me contem como foi.

Aposto que vai ser horrível, mas aposto também que ano que vem o seu telefone vai tocar de novo com um convite. É o espírito de Natal, forçando a gente a se amar, pra fingir que o mundo faz sentido e que tende a melhorar.

Mas é mentira. Vai continuar tudo igual.

  • Livia klein

    Que bom q voltou. Vc é idola

    • Carolina Mendes

      Na verdade não voltei, é só um presente de Natal pra vcs, seus lindos.

  • @leevanpereira

    Hahahahahahaha adoro essa acidez.

    Feliz Natal pra vocês.

    E já que o clima é de “amor e fraternidade”: dá cá um abraço gente!

    • Carolina Mendes

      Abraço: não.

  • carla

    ai, que exagero. não sei se é pra ser engraçado ou é coisa de adolescente, mas o texto ficou meio tedioso de tão exagerado.
    pf

    • Carolina Mendes

      Né, também achei. Vou deletar.

      • http://www.marketingnacozinha.com.br Rafael

        deleta. deleta.

  • http://www.bartips.com.br Fabiola

    Yeah, voltou e arrasando, falando o que todo mundo pensa, mas não tem coragem de falar!

    • Carolina Mendes

      Toaqui pra isso.

  • Leila

    meu deus… vc é meu clone!!! – rsrsrs
    Penso exatamente igual!!
    E escuto as mesmas criticas e me preocupo tannnto com isso!! – rsrsrsrs

    • Carolina Mendes

      Sou? Ou vc é meu?

      Nunca saberemos.

  • Pedro Salum

    Cara… curti mto teu texto… rachei de rir várias vezes.

    Eu sou assim também no natal… um pouco mais leve talvez.

    Para você achar que não ta na pior… meu aniversário é dia 25/12.

    Abraços!

    • Carolina Mendes

      JESUS, É VOCÊ?

      • Pedro Salum

        ehuehuehue… pior que não. E nem queria ser… imagina o trabalho que teria!

  • christhiany

    Esqueceu os programas de televisão tipo a chegada do papai noel no shopping (conveniente ser lá né!?); as cartinhas do papai noel onde dão pra criança uma bonequinha até mais ou menos, mas a guria não tem o q comer em casa e a ‘cereja do bolo’ o especial do Roberto Carlos =\ …depois de tdo isso minha mãe não quer q eu me esbalde na cerveja…num dá né gente. Carol e Rafa q o 2012 de vcs venha cheio de projetos, já q esse ano foi foda de bom =*****

    • Carolina Mendes

      Ai moça, não brinca assim com meus sentimentos.

      Sem sentimentalismo.

      Que eu choro.

  • christhiany

    Esqueceu os programas de televisão tipo a chegada do papai noel no shopping (conveniente ser lá né!?); as cartinhas do papai noel onde dão pra criança uma bonequinha até mais ou menos, mas a guria não tem o q comer em casa e a ‘cereja do bolo’ o especial do Roberto Carlos =\ …depois de tdo isso minha mãe não quer q eu me esbalde na cerveja…num dá né gente. Carol e Rafa q o 2012 de vcs venha cheio de projetos, já q esse ano foi foda de bom =***

  • http://alemdaspanelas.blogspot.com/ Grêdja Almeida

    Fantástico texto! tb odeio o calor, mas ODEIO ainda mais a hipocrisia das pessoas no mês de dezembro.
    Parabéns pela sinceridade.

    • Carolina Mendes

      Né?

      Bjos!

  • peter

    casa comigo?

    • Carolina Mendes

      Vc é rico e lindo, e bem dotado?

  • Paula

    Ri, mas ri e ri MUITO! E olha que eu adoro Natal. Esse mesmo com peru ressecado, farofa e muita família! Mas é que seu texto tá fantástico! Congrats e Feliz Natal!

    • Carolina Mendes

      Ai gente, num guento esse amor de vcs.

  • Guilherme

    Cara… a gente poderia fazer um mini evento do “Reveillon da Sinceridade”, como se fosse um jantar não comemorativo de porra nenhuma, com gente que não conhecemos e não pretendemos ficar abraçando e fazendo desejos pifios…

    Ia bombar!*sic*

    • Carolina Mendes

      Eu não passo nem perto dissaí, vai dar morte.

  • Kaká

    meu sonho é fazer a “festinha da hipocrisia” pelo menos o sentimento é verdadeiro.
    Carolina, mais uma vez, sua linda! falou bonito!

    • Carolina Mendes

      Tarra com uma saudade louca de vcs.

  • Andreza

    Carolina,
    P/ mim, melhor texto aqui no Jantando!! Amei!! É bem oq eu penso sobre o maldito fucking natal…
    bjs

    • Carolina Mendes

      Assim vc me mata.

      Ai se eu te pego, aiai se eu te pego…

  • olys

    cosplay do natal no reveillon foi a melhor de todas! kkkkk

    • Carolina Mendes

      Pra mim, tudo praticamente a mesma merda depois de certa idade.

  • Pedro

    Genial.
    Feliz Natal.

    • Carolina Mendes

      Obrigada,

      Não horrível Natal pra vc. Já tá de bom tamanho.

  • Eduardo

    Maldito CALORRRR, maldita Árvore do Ibirapuera e TODAS as luzes da Av Paulista…..

    • Carolina Mendes

      MALDITOS MALDITOS MALDITOS

  • Edilene Ruth

    Rolando de rir, Carol!!!
    Bom fim de ano!!
    Beijo

    • Carolina Mendes

      Beijão querida!

  • Laura

    Carolina, você fala de todo o rancor do natal (e ano novo)que eu copartilho e esquece de falar das uvas passas, que surgem no meio de tudo! arofa, arroz, salada de batata…

    • Carolina Mendes

      ME PERDOE SENHOR MAS EU GOSTO E UVAS PASSAS.

      • Vanessa Barbosa

        Desculpe mas isso não dá pra perdoar não!

  • Guilherme

    nao concordo, desculpa. Natal é alegria, nascimento de Jesus e época de renovar os votos e refletir sobre o ano que passou. se o seu ano foi ruim, seu natal é ruim

    • anonima

      concorco sempre tem alguem pra encher osaco e falar mal de alqumacoisa que todo mundo gosta. DESNECESSARIO

      • Carolina Mendes

        ENCHER OSASCO?

    • Carolina Mendes

      AHAHAHHAHAHAAHHAHAHAHHAHAHAHAHHHAA

      repetindo

      AHAHAHHAHAHHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHA

  • claudia

    Pelo menos não sou a única que pensa assim…
    Só faltou falar da mania CRETINA de enfiar uva passa no arroz empapado, farofa e peru ressecado. Uva passa é comida de chinchila.

    • http://www.marketingnacozinha.com.br Rafael Mantesso

      Hahaha comida de chinchila. genia

      • Carolina Mendes

        Call me chinchila, principalmente as claras.

        • Carol

          Super chinchila… carrego caixinhas de uva passa na bolsa.

  • Vanessa Barbosa

    Rola de dormir hj e só acordar dia 2? @Vanessinha_bh

    • Carolina Mendes

      Rola, com medicação.

  • Vanessa

    Texto bem escrito, parabéns, o nível de exagero é necessário para reter o leitor.
    Adoro o Natal e tudo o q ele significa, os hipócritas q se danem, estão perdendo a oportunidade de serem pessoas melhores, já q há essa “janela do amor” aberta e pessoas mais pré dispostas a perdoar.

    • Carolina Mendes

      Perdoar, perdoam. Mas não aprendem merda nenhuma com isso.

      • Renata

        Perdoar, perdoam. Mas não esquecem e vão continuar falando sobre isso depois da festa.

        • http://www.facebook.com/delagostini Matheus Delagostini

          Perdoar perdoam. Até porque vao te convidar pro natal do ano que vem de novo!

  • http://www.criticozinha.blogspot.com Carolina

    Hahahahaha, genial, genial, genial! Tudo o que eu queria escrever sobre essa maldita epoca do ano mas nao tinha tido oportunidade!
    Vc quer fazer qqr coisa, sei lá, ir num inocente cinema, nao pode, pq tem que pensar no transito, nas disputa enlouquecida por uma vaga, na corrida de obstaculos nos corredores lotados! Agora me dizzzzzzzzzz, natal cai todo ano na mesma data, pq as pessoas nao começam a comprar a porra dos presentes 2 meses antes?! E esse lance de amigo secreto que inventaram p/ baratear o custo dos presentes?!?!? Horrivel!
    E me diz pq comida de natal/ano novo é o maldito peru?!
    Eu e minha familia (que pela benção divina é pequena)detestamos tanto q abolimos a ceia. No maximo almoçamos civilizadamente no domingo! UFA!

    • Carolina Mendes

      Enorme UFA.

  • http://snc-by-joo.blogspot.com JoO

    E o que eu mais gosto no Natal é essa sensaçao ridicula e obrigatoria de ser feliz. Ver as pessoas tentando fazer o amor acontecer, mesmo com data pra acabar. Gosto sim… bastante!

    • Carolina Mendes

      Acho meio que um transe assustador coletivo.

  • http://www.fatacomunicacao.com.br Felipe Luiz Farelli

    Oi Carol, como sempre, mais um texto show.
    Demais esse especial de Natal, mas fica pra 2012 também vai? Num para de escrever aqui não! O “Jantando no Orkut” é D+.
    Gostaria que meu Natal fosse diferente dessa hipocrisia toda.
    Carol, te desejo um bom Natal, verdadeiro e sincero como Você!
    Super beijo
    Felipe

    • Carolina Mendes

      Quero demais, mas não sei se a graça não acabou e é melhor pensar em outra coisa…

      Bjos!

  • Aline F

    O pior de tudo, é saber que ano que vem tem mais!

    Carolina, saudade dos seus textos! ;)

    E já que não tem jeito, Feliz Natal procê! Beijo

  • Henrique

    Chei de ódio neginha…

    Mas é isso mesmo!

    “Natal é época na qual pessoas que se odeiam comem da mesma comida”

  • Christian

    Deveras amo essa mulher.

  • Duda

    Casa comigo? Eu sou rica, linda. Só não sou bem dotada por que né…

  • http://escrevodepoisapago.wordpress.com/ Ana

    hahahahahaha Muito, muito, muito bom. É EXATAMENTE assim. A época do ano que mais odeio. Você é foda!!

  • http://felipecabeca@gmail.com Felipe Menhem

    Carol, dessa vez eu não gostei do texto. Me chame de ingênuo, mas ainda valorizo as coisas legais do natal.

    Mas faço votos de que o seu Natal não seja assim, digamos, tão HORRENDO feito o que você descreveu. :)

    Beijo!

    • http://felipecabeca@gmail.com Felipe Menhem

      Errei a porcaria do link do meu blog. Vai sem ele, só apaga esse “gmail.com” horrível que eu deixei aí.

  • http://www.semtemplate.blogspot.com Darlana Ribeiro Godoi

    Minha família é pequena, e ainda bem, logo logo ela acaba e eu posso passar o Natal sossegada…Em casa assistindo os filmes chatos de Papai Noel com tema dos três fantasmas…

  • Daniela Ressia

    Filhota, tu eh phoda! Amei seu texto e assino em baixo!
    :-)

  • Daiana

    Acho que vou imprimir e distribuir esse texto durante a ceia.
    Grata : D

  • http://www.mkt360graus.com.br Paulo Rubini

    Foda-se o natal! mas vamos aproveitar e encher o talo assim mesmo.

  • Anna

    Texto muito bom mas, ainda assim, o Natal é bom demais, e eu sempre vou gostar de tirar meu avô no amigo secreto, comendo o pudim de leite da minha mãe!

  • Carol

    Assino embaixo também. Isso sem falar no ridículo que é toda essa decoração de natal em clima de inverno que nem existe aqui. Toda essa neve, todos esses pinheiros, o papai noel de shopping com a barba postiça e roupa pesada, suando. E a cidade quente como um sovaco. Todas as malditas frutas cristalizadas, todas as nozes, castanhas, pistache. Por que? Temos neve, precisamos estocar? Não temos fartura de frutas frescas? Não cai muito melhor no maldito clima? Brega, brega, brega, brega, bregaaaaa! Tudo tão brega!!!

  • Regina

    Acabei de chegar do buteco onde discutíamos esse “clima natalino”. Se eu tivesse visto esse texto antes, teria matado a discussão a pau.
    bj e feliz natal…

  • renata

    concordo com tudo. Esse ano recusei o convite pro amigo oculto e festas da família, passei esse ano inteiro tentando conviver bem com todos, ficar perto das pessoas que gosto e ignorar as que não gosto por isso que não vou estragar todo meu esforço de um ano com as inconveniências das festas de natal e ano novo . Amo minha família, mas ela lá e eu aqui quietinha.

    • Carol

      familia é bom. No porta-retratos e ao telefone.

      • http://www.facebook.com/delagostini Matheus Delagostini

        dependendo da frequencia eu tiraria o telefone!

        alias, dependendo do comodo eu tiraria o porta retrato também…

  • Michele

    Adorei, parabéns pelo ótimo texto!! descreveu totalmente minha vida natalina de merda!

  • Ju

    Eu faria serenata de “Então é Natal” em frente a sua casa de tanto que eu te amo!!!! ;)
    Como sempre, mimijei.

  • http://www.melecanacozinha.com Amanda

    HAHAHAHAHA adorei! Vi meu ex marido falando tudo isso!!
    Amo o natal mas amo os seus textos Carolina!
    Beijos

  • Joey Potter

    A Árvore do Ipirapuera eu não sei… mas a da Lagoa do Rio de Janeiro.. dá vontade de tacar fogo!! Aí sim aquele povo idiota teria motivo de parar para olhar e tirar foto!!!

  • Marcela

    Saudade de você e dos seus textos ótimos, Carolinda!

  • http://marcoaguedes.carbonmade.com Marco Antonio Guedes

    Por isso ue natal é dia de encher a cara e ficar no canto sem se juntar com a família toda e no reveillon sai vazado da fmailia, e só manda aquele sms na hora da virada!
    ;)

    SEMPRE DA CERTO e é uma tranquilidade!!!!

  • Cris

    Carol, sua linda! Saiu até lagriminha do canto do olho de tanto que ri. Maravilhoso texto. Pensamento lúcido. Sem meias palavras. Perfeito assim ;-) Obrigada pelo presente e não nos abandone em 2012!

  • http://www.facebook.com/delagostini Matheus Delagostini

    Existe eu na versão feminina! E ela se chama Carolina…

    Faço das suas palavras, minhas! Em cada cm².

  • Camila

    Isso aí, porque é muito melhor ser antipático, mal-educado e mesquinho 12 meses do ano ao invés de 11, né? Pff.

  • Luiza

    sabe? já basta que a pessoa tá no último estado do cansaço e irritação nessa época do ano e ainda tem que incorporar esse espírito mágico e se despencar ladeira abaixo e torrar dinheiro em presente e roupa e quando se olha no espelho e tá albina… ai não só bebendo mesmo.

  • Polly

    Brilhante.

  • Adriana Pereira

    Idala! Quando eu crescer quero ser igual a você.
    Feliz Ano Novo!

  • Sil

    1a vez que visito o blog e amei, Carol! Rolando de rir até agora!! Bom, vamos lá: Feliz 2012, mais honesto e menos hipócrita! bjsssss

  • http://www.rabisco-criativo.blogspot.com Júh Costa

    Adorei o texto. Parabéns!

  • http://www.facebook.com/lithabacchi Litha Bacchi

    Gente, tu acaba de ganhar uma nova fã. Conseguiu reunir tudo o que eu tinha pra dizer dessa data tosca do inferno! Post dos cupcakes também ganhou meu coração. Abraço!

  • http://www.facebook.com/otaviocnn Otávio Calixto

    Como sou ateu e compreendo o caráter mercadológico e materialista do natal, além de já ter constatado há muito tempo que a relação da maioria das pessoas com a data é puramente automática e acrítica, poderia concordar com você. Mas não concordo. Sabe por que? Porque sou indiferente ao natal. A bebida me desce como em qualquer noite e meu humor não é alterado pela época do ano. Não me sinto compelido a visitar ninguém nem a ligar pra quem não queira. Se me desejam feliz natal, respondo educadamente como quem responde a um bom dia. Uma coisa eu faço: compro presentes pra minha sobrinha e afilhada, que são crianças e um dia decidirão o que fazer do natal delas. Tecendo tantas minúcias a respeito de algo que você diz detestar fiquei com a impressão que você ama o natal. Sinceramente. Ah, mais uma coisa, os chifres, sobrepeso e vida sexual das outras pessoas simplesmente não são da sua conta, pra ser beeeeem honesto!