1

quinta-feira, 05 de fevereiro de 2009

Um restaurante de Londres descobriu uma maneira inusitada de aumentar a clientela durante o atual período de crise econômica: deixar que cada um pague o valor que achar justo pela refeição.

A promoção do restaurante Little Bay, no bairro central de Farringdon, vai valer durante todo o mês de fevereiro e só não vai incluir as bebidas consumidas, pelas quais o cliente terá de pagar integralmente.

“As pessoas estão com medo de gastar dinheiro, e muitos restaurantes estão perdendo clientes”, diz Peter Ilic, proprietário do Little Bay, à BBC Brasil. “Creio que esta iniciativa não só vai manter minha clientela, mas também atrair aqueles mais endinheirados que pararam de ir a restaurantes caros.”

Ele diz esperar que apenas uma pequena parcela dos clientes acabe não pagando nada pelo que comer. “Não importa, pois instruí os funcionários a tratar todo mundo da mesma maneira”, promete.

Lucro

Segundo Ilic, muitos clientes pagam bem mais do que normalmente é cobrado pelos pratos do cardápio. “Nós começamos a promoção no domingo. Neste dia, todo mundo pagou e ainda pagou mais do que os pratos custam. Ou seja, já comecei no lucro”, conta.

“Trabalho com uma expectativa média, então não serei prejudicado se algumas pessoas não pagarem.” Ele afirma que ganhou mais clientes recentemente porque seu restaurante “já apresentava uma boa relação qualidade/preço”.

Normalmente, uma refeição no Little Bay custa uma média de 25 libras (cerca de R$ 82) por pessoa. O restaurante recebeu notas em torno de nove nos mais populares websites de roteiro gastronômico da Grã-Bretanha, onde os próprios clientes fazem a avaliação e os comentários sobre os estabelecimentos.

A ideia de deixar o cliente decidir o quanto quer pagar não é nova em Londres: nos anos 80, o próprio Ilic teve um restaurante no norte da cidade que funcionava com o mesmo princípio.

Via Folha

  • pudim

    Isso só funciona na Europa mesmo, se fosse no Brasil ninguém pagava nada e o restaurante iria a falência.
    Infelizmente é verdade :/